Secretário Especial da Aquicultura e Pesca da Presidência da República defende mudanças na legislação para estimular piscicultura

secretario aquicultura

“A grande fronteira do agronegócio brasileiro, a médio prazo, será a criação de peixes em cativeiro. A aquicultura é o nosso próximo Pré-Sal. E exposições como a AgroBrasília são de fundamental importância para a sociedade brasileira ver de perto o potencial gigantesco que é o nosso país em todos os sentidos do agronegócio, para fortalecer cada setor, atrair mais investimentos, divulgar tecnologia.” A declaração é do secretário da Secretaria Especial da Aquicultura e Pesca da Presidência da República, Dayvson Franklin de Souza, durante uma visita à 11ª Feira Internacional dos Cerrados, especialmente ao estande do órgão, no Circuito da Piscicultura do Espaço da Agricultura Familiar, dia 16 de maio.

Confiante no potencial de crescimento da aquicultura brasileira, o secretário especial ressalta que o Brasil já é o quarto produtor de tilápias, mas participa com apenas 0,2% do mercado mundial de 146 bilhões de dólares/ano. “Um país com um verdadeiro oceano de águas continentais, mais de oito mil quilômetros, fora as milhas náuticas, um clima tropical maravilhoso, que participa com tão pouco de um mercado tão grande, tem tudo a crescer e se desenvolver”, aposta Dayvson. Nesse sentido, ele assegura que o governo está resgatando muitos programas de incentivo à aquicultura. “O principal é organizar nossa legislação, dar garantia jurídica aos investidores do setor e incentivo aos pequenos produtores. Enfim, o governo tem que fazer o seu papel, porque a iniciativa privada tem feito e pode fazer muito mais”, finaliza.