Baixe o app da AgroBrasília:

Siga a AgroBrasília:
circle facebook 32 instagram 32 twitter 2 32

Notícias

Coopa-DF participa do Eixão Agro

Coopa-DF participa do Eixão Agro

Cooperativa contou com estande institucional e apresentou seus produtos no evento Brasília recebeu a segunda edição do Eixão Agro. O evento reuniu cerca de 50 expositores que apresentaram e comercializaram seus produtos. Realizado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Distrito Federal (Fape-DF), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem [...]

Leia mais

Brasil é o terceiro maior exportador mundial de produtos agropecuários

CNA estima que ao final de 2015 as vendas externas do agronegócio serão de US$ 88,3 bilhões, mesmo com a economia do país em recessão

 

 De importador de alimentos até meados da década de 1970, o Brasil se transformou nos últimos 25 anos em uma das maiores potências agrícolas mundiais. Este verdadeiro fenômeno, que alia elevada produtividade agrícola, com preservação ambiental e uso de tecnologia moderna, foi observado em recente estudo da Organização Mundial do Comércio (OMC), no qual o país é destacado como terceiro maior exportador de grãos, abaixo apenas da Comunidade Europeia e dos Estados Unidos.

 

Outro estudo recente, divulgado em meados deste ano pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), mostra que o Brasil deverá assumir a liderança mundial na exportação de produtos agrícolas a partir de 2024, quando a área plantada será de 69,4 milhões de hectares, um crescimento de 20% à média obtida no biênio 2012/2014.

 

Esse incremento de área plantada, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), é resultado prático do avanço da produção agrícola sobre áreas de pecuária degradada, áreas de abertura (aquelas de primeiro plantio) e principalmente com o aumento do plantio da segunda safra no Centro-Oeste e no MATOPIBA (região produtiva nos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia). Mantendo-se, assim, a preservação do meio ambiente e áreas verdes.

 

A CNA estima que até o final de 2015 as vendas externas do setor agropecuário brasileiro deverão atingir US$ 88,3 bilhões, desempenho inferior ao obtido no ano passado, mas de grande fôlego levando-se em conta que o Brasil deverá terminar o ano com uma queda histórica de 3% do Produto Interno Bruto (PIB).

 

Grande parte do crescimento da área plantada, conforme avalia a FAO, se dará nas culturas de cana-de-açúcar (+37%), do algodão (+35%) e das oleaginosas, especialmente soja (+23%), segundo demonstra o relatório da FAO no capítulo sobre Perspectivas Agrícolas para a próxima década.

 

Elevada produtividade - Com relação aos índices de produtividade, o estudo da FAO indica que as melhorias serão mais consistentes para o arroz e o trigo. O salto na produção agrícola brasileira se deu a partir da criação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), cujos estudos e pesquisas definiram o perfil e as condições ideais para o plantio, adaptando vários tipos de sementes ao solo tropical existente no país, casos do arroz, feijão e milho.

 

A soja, segundo ainda a FAO, continuará sendo o principal produto agrícola exportado pelo Brasil, o país é atualmente o segundo maior exportador mundial, sendo superado apenas pelos Estados Unidos. Os embarques da oleaginosa devem render, em 2024, US$ 22,8 bilhões. Este valor, contudo, deverá ser menor que o total obtido nos dias de hoje porque o consumo interno da soja vai crescer 27% nos próximos dez anos, implicando em redução no volume total de grãos a ser exportado pelo país, diz a FAO.

 

A CNA, por seu lado, destaca que embora a receita cambial com as vendas externas de produtos agropecuários deva cair perto 9% em 2015, o volume dos embarques vai continuar batendo recordes: serão 160,5 milhões de toneladas a serem exportadas este ano, 13,9% superior ao verificado em 2014.

 

Os números mostram que nos primeiros nove meses de 2015 as exportações do agronegócio brasileiro atingiram US$ 67,0 bilhões, conforme números recentes. De janeiro a setembro do ano passado o setor foi responsável por 44% do total das exportações brasileiras, já em igual período de 2015 o percentual subiu para 46%.

 

Fotos da AgroBrasília

Vinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.xVinaora Nivo Slider 3.x
dia 16
dia 17
dia 18

Faixa logos patrocinadoras

logos apoio